Arquivo da tag: Higor Vinicius Nogueira Jorge

Infiltração virtual de agentes representa avanço nas técnicas especiais de investigação criminal

Francisco Sannini Neto – Delegado de Polícia do Estado de São Paulo – Mestre em Direitos Difusos e Coletivos – Especialista em Direito Público – Colunista no Canal Ciências Criminais – Professor da Graduação e Pós-Graduação da UNISAL – Professor Concursado da Academia de Polícia do Estado de São Paulo –  Professor do Damásio Educacional.

Higor Vinicius Nogueira Jorge – Delegado de Polícia do Estado de São Paulo – Especialista em Polícia Comunitária – Especializando em Corrupção: Controle e Repressão a Desvios de Recursos Públicos – Membro da Associação Internacional de Investigação de Crimes de Alta Tecnologia (HTCIA) – Professor Concursado da Academia de Polícia do Estado de São Paulo – Professor de Inteligência Cibernética da Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP).

 

  1. Introdução

A infiltração de agentes encontra previsão legal na Lei de Drogas (art.53, I[i]) e mais recentemente na Lei 12.850/13, que trata das Organizações Criminosas. Contudo, foi este diploma normativo que efetivamente estabeleceu, ainda que de maneira tímida, o procedimento para a concretização desse importante meio de obtenção de prova.

Tendo em vista que nosso ordenamento jurídico não conceitua a infiltração de ag Continue lendo Infiltração virtual de agentes representa avanço nas técnicas especiais de investigação criminal

Entrevista sobre compartilhamento de imagens e crimes cibernéticos (Tem Notícias – Rede Globo)

Matéria sobre os cuidados que o usuário de computador deve tomar antes de compartilhar conteúdos pela internet, produzida pela TV Tem de São José do Rio Preto, afiliada da TV Globo.
Basta um clique no celular e você pode se complicar com a polícia. compartilhar mensagens ofensivas, pornográficas ou até preconceituosas também é crime. 
As redes sociais (Facebook, Twitter, etc) e os aplicativos (WhatsApp, ZapZap, etc), se tornaram tão presentes na nossa rotina que é difícil imaginar a vida sem eles.
Mas é por meio dessa mesma tecnologia, que pessoas mal intencionadas têm agido.
O delegado Higor Vinicius Nogueira Jorge conversou com a equipe de reportagem e afirmou que os integrantes da Polícia Civil do Estado de São Paulo estão preparados para enfrentar esse tipo de crime.

Lançada 2ª edição do livro “Crimes Cibernéticos: ameaças e procedimentos de investigação”

Foi lançada a 2ª edição do livro “Crimes Cibernéticos: ameaças e procedimentos de investigação”, escrito pelos delegados Higor Vinicius Nogueira Jorge e Emerson Wendt, pela Editora Brasport.
Esta versão ampliada da obra apresentou um caso concreto de investigação a um delito praticado por intermédio do Facebook. Também foram acrescentadas informações sobre forense computacional, outras redes sociais e cooperação internacional com Argentina, Bahamas, China, Espanha, França, Itália e Portugal.
A obra pode ser adquirida no site http://www.brasport.com.br/informatica-e-tecnologia/seguranca-br-2-3-4-5/crimes-ciberneticos-ameacas-e-procedimentos-de-investigacao-2a-edicao.html.
Vejam o que os maiores especialistas do Brasil na área dos crimes cibernéticos falaram sobre a 1ª edição do livro:

“Leitura obrigatória a todos os cyberinteressados no assunto!”
Renato Opice Blum
Advogado e economista, São Paulo – SP

“Com linguagem didática e objetiva, e munidos de sua brilhante experiência como Delegados da Polícia, os autores destacam-se no segmento do Direito Digital, por apresentarem, de modo exemplar, as bases para investigação de crimes informáticos. Esta obra é essencial ao profissional que atua neste ramo, seja jurista, policial, técnico ou perito; bem como aos acadêmicos que buscam conhecimento na área.”
Gisele Truzzi
Advogada especialista em Direito Digital, Truzzi Advogados

“Leitura fundamental para aqueles que querem se aprofundar nos temas ligados ao Direito Eletrônico. Uma abordagem rica em detalhes sobre a Inteligência Cibernética.”
Coriolano A. Almeida Camargo Camargo
Conselheiro Estadual e Presidente da Comissão de Direito Eletrônico, OAB/SP

“Obra importante sobremaneira, posto que os autores são uns dos raros profissionais que detêm, além do conhecimento científico, a experiência da prática do combate ao crime.”
Fernando De Pinho Barreira
Perito Criminal em Forense Computacional, especialista em Direito Eletrônico

“O tema abordado no livro é de suma importância para qualquer cidadão brasileiro que realize transações pela Internet. Os autores fizeram um excelente trabalho na abordagem de um tema que a cada dia que passa torna-se mais realidade na vida de todos.”
Yuri Diogenes’
Autor de livros de Segurança da Informação no Brasil e nos Estados Unidos

“Compêndio indispensável para a prática profissional e os estudos acadêmicos.”
Giuliano Giova
Perito judicial em questões de alta tecnologia, diretor do Instituto Brasileiro de Peritos

“Uma excelente fonte de informações para leigos, especialistas e curiosos que desejam conhecer o universo da investigação cibernética.”
Bruno Guilhen Bperfil
Especialista em Segurança da Informação e Perícia Forense

Crimes Cibernéticos - Ameaças e Procedimentos de Investigação - Higor Vinicius Nogueira Jorge e Emerson Wendt

 

Adquira o livro "Crimes Cibernéticos - Ameaças e Procedimentos de Investigação" escrito por Higor Vinicius Nogueira Jorge e Emerson Wendt.
Adquira o livro “Crimes Cibernéticos – Ameaças e Procedimentos de Investigação” escrito por Higor Vinicius Nogueira Jorge e Emerson Wendt.

Clonagem de cartões de crédito – Jornal Notícia Popular

Segundo o delegado, pequenos cuidados podem livrar o indivíduo de problemas maiores.
O avanço da tecnologia tem facilitado, cada vez mais, a vida das pessoas. Porém, como tudo tem seus prós e contras, muitas pessoas usam a tecnologia para a prática de crimes, um exemplo disso são os crimes cibernéticos, visto que o criminoso se mantém “protegido” atrás da tela de um computador e age de forma minuciosa, muitas vezes difícil de ser descoberto.
A clonagem de cartões de créditos tem sido um dos crimes mais evidentes nos últimos tempos, por isso o delegado de polícia Higor Vinicius Nogueira Jorge, que recentemente publicou um livro sobre a investigação dos crimes relacionados à tecnologia e à utilização dos dispositivos eletrônicos com segurança, falou um pouco sobre o assunto e fez um alerta sobre o perigo desse crime bastante praticado.
“Os cartões de crédito representam um importante recurso às pessoas que realizam transações bancárias, mas também podem proporcionar diversos prejuízos para as pessoas que fazem uso dele. Por isso, deve-se tomar muito cuidado com a utilização de cartão de crédito e, caso ele seja subtraído ou extraviado, é muito importante comunicar, imediatamente, a instituição bancária e também, caso existir crime a ser apurado, narrar o fato em uma Delegacia de Polícia para que a mesma promova a investigação criminal”, explicou.
Segundo o delegado, pequenos cuidados podem livrar o indivíduo de problemas maiores. Ao utilizar o cartão, a pessoa deve estar atenta e não perder o contato visual do mesmo, e ter cuidado ao digitar a senha para que outra pessoa não visualize os número digitados.
“Outro risco que o usuário de cartão de crédito é submetido diz respeito as compras em lojas de comércio eletrônico. Por isso deve-se evitar realizar compras em sites que não sejam confiáveis, que sejam desconhecidos ou que não tenham uma reputação positiva em sites de reclamações. Além disso, o dispositivo de informática utilizado deve ser seguro, ou seja, é importante que não exista nenhum arquivo malicioso instalado no computador”, alertou Dr. Higor.
Ele também explicou que “o cartão pode ser danificado se for exposto a um campo magnético ou ao calor. Ambos prejudicam os registros da tarja magnética do cartão, impedindo a leitura pelos dispositivos que possuem essa finalidade”.
Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febran), se o cartão, ao ser usado, ficar retido no caixa eletrônico é necessário clicar na tecla “cancelar” ou “anular”, bem como comunicar o banco sobre o ocorrido, tendo em vista que existem criminosos que instalam um equipamento para reter o cartão. Em alguns casos, criminosos danificam os telefones que ficam próximos aos caixas eletrônicos e também podem surgir pessoas desconhecidas se oferecendo para ajudar, mas que na verdade são criminosos.
O delegado de polícia alertou que “caso a vítima perceba que há algum valor indevido na fatura do cartão de crédito é também necessário apresentar no banco uma carta de contestação para evitar que seja realizada a cobrança indevida”.
“Reclame Aqui”
É um site confiável, em que consumidores fazem suas reclamações. Antes de comprar algo pela internet ou através de dispositivo móvel, é importante avaliar se não há reclamações do referido comércio eletrônico

Aline Amaral – Jornal Notícia Popular