Celulares são novos alvos para o cibercrime (O Jornal)

De computadores, criminosos cibernéticos miram celulares

Por Aline Amaral

Criado há 25 anos, os vírus de computadores se espalham consideravelmente e causam prejuízos de bilhões de dólares anuais.
No início, o maior objetivo dos cibercriminosos era o desafio de invadir um computador pelo simples fato de ser reconhecido como gênio de programação, mas, com o tempo, o foco foi mudando, e hoje, roubar dados pessoais para vender é a maior motivação desses criminosos.
O delegado de polícia civil Higor Vinícius Nogueira Jorge, especialista na investigação de crimes cibernéticos, explicou que “criminosos utilizam programas de spam, ou seja, que enviam e-mails em massa e geralmente estes e-mails possuem como anexos programas maliciosos ou contém links que direcionam o usuário a um site que tenha algum programa com a finalidade de obter informações confidenciais da vítima”.
O trabalho dos cibercriminosos passou a ser organizado e dividido em grupos. Há aqueles que desenvolvem os vírus, grupos que compram o vírus, obtêm as informações dos usuários, como senhas, números de cartões de crédito e dados pessoais, e vendem adiante para um terceiro grupo que executa o roubo. Na maioria das vezes são contas em bancos. O foco principal se tornou obter informações que valham dinheiro.
E não para por aí, o cibercrime tem evoluído constantemente e, previsto ainda para este ano, o grande alvo dos criminosos cibernéticos serão os aparelhos com tecnologia móvel, uma vez que o uso de aparelhos celulares superou a quantidade de computadores em operação no mundo, fazendo com que os aparelhos contenham informações confidenciais na mesma proporção que os computadores.
A tecnologia móvel também evoluiu, pois de um simples aparelho para fazer ligação, o celular tornou-se um objeto inseparável dos jovens, adultos, crianças e até idosos que se habilitam a ligar, mandar mensagens, assistir TV, brincar com jogos, tirar fotos, fazer filmes, ouvir músicas e mais recentemente conectar-se à internet, que ainda abre um leque de opções para o usuário.
Por isso, junto com a praticidade de poder navegar na internet de qualquer lugar onde você se encontre, também surgiu o interesse dos criminosos cibernéticos, pois esta opção já abrange um enorme número de usuários.
O delegado Higor Jorge, disse ainda que “já existem alguns arquivos maliciosos no celular que fazem com que o mesmo encaminhe cópias desses artigos para outros celulares, via SMS ou via Bluetooth, e através desses aplicativos os cibercriminosos conseguem ter acesso às informações sigilosas contidas no celular.
De acordo com o delegado, o primeiro vírus de celular surgiu em 2004 e cada vez mais esses arquivos maliciosos têm infectado os aparelhos, pois já foram criados vírus para todos os tipos de sistemas operacionais de celulares. E segundo estudos da McAfee, além dos celulares outros alvos para 2011 serão as redes sociais e smartphones.
Como se proteger
Esses criminosos, além de enviar e-mails aleatórios, tentam conquistar suas vítimas de diversas maneiras, algumas delas através do apelo sexual, quando você recebe um e-mail prometendo imagens de celebridades nuas, ou pelas redes sociais, quando pessoas desconhecidas, de aparência muito atraente, te adicionam sem nenhum motivo específico.
Outra armadilha é quando tentam convencê-lo de que você foi sorteado, escolhido e, por qualquer motivo que seja, foi vencedor de algum prêmio, seja em dinheiro ou objetos de valor. Também tentam ganhar a confiança da vítima se passando por marcas conhecidas, bancos, e nas duas maneiras tentam descobrir senhas, número de cartões para confirmação de cadastros, retirada dos prêmios, entre outros.
A compaixão também é bastante usada para arrancar dinheiro das vítimas. Os criminosos roubam contas de redes sociais e pedem ajuda financeira aos amigos. E ainda, os inúmeros falsos casos de doenças que também é uma maneira chocante que acaba comovendo as vítimas.
Além desses cuidados, existem algumas regras básicas, como ter cuidado na hora de instalar um aplicativo, manter um programa de antivírus atualizado, nunca abrir e-mails desconhecidos, e manter o Bluetooth dos celulares e tablets sempre desligado, pois a maioria dos vírus para dispositivos móveis usa este aplicativo para passar de um aparelho para outro.


O delegado Higor Jorge falou sobre ataque à celulares

Extraído do site: http://www.ojornaldesantafedosul.com.br/noticia9.htm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *