Para começar

Quando fui convidado a escrever nesta coluna, imediatamente pensei no assunto que abordaria no primeiro artigo. Sempre penso que para começar uma caminhada temos que dar o primeiro passo e, para escrever em uma coluna o primeiro passo é o primeiro artigo.
O fato de ser Delegado de Polícia em Santana da Ponte Pensa, presidente do Conselho Municipal Antidrogas de Santa Fé do Sul e professor tem me oferecido a oportunidade de conhecer diversas realidades, bem como pessoas de vários segmentos da sociedade e isso desencadeia uma constante reflexão.
Com base nessas reflexões inicialmente pensei em escrever sobre o caso do goleiro do Flamengo e seus amigos, que assassinaram a amante com requintes de crueldade ou sobre o projeto delegado conciliador inaugurado na cidade de Lins e que tive a oportunidade de participar da elaboração, pois representa um importante elemento na pretendida pacificação social.
Outro tema que imaginei ser interessante para escrever no primeiro artigo foi sobre a responsabilidade da população em colaborar com o trabalho investigativo da Polícia Civil, sobre os instrumentos colocados à disposição do cidadão, como, por exemplo, o disque denúncia e as caixas coletoras do projeto Polícia Civil Comunitária, que estamos colocando em diversos municípios da região de Santa Fé do Sul.
Pensei em falar sobre o problema da dependência das drogas, principalmente no que concerne ao crack, sobre como a pessoa perde totalmente a dignidade quando passa a se envolver com todo tipo de entorpecente, sobre casos que temos observado em nosso cotidiano de pessoas que se tornam escravas do vício, não conseguem mais trabalhar e perdem o contato com a família, com os amigos, que são capazes de furtar, roubar, se prostituir ou até mesmo matar por uma pedra de crack.
Sobre histórias de homens violentos, algumas vezes alcoólatras ou dependentes de drogas, que agridem as esposas ou abusam das filhas e a vida dessas vítimas vai seguindo do mesmo jeito, como se tudo corresse bem, como se essas pessoas sádicas e violentas pudessem usar e abusar da família.
Também pensei em falar sobre os baixos salários na educação, saúde e segurança no Estado de São Paulo, em especial nos salários aviltantes recebidos pelos policias civis ou sobre o fato de nós, Delegados de Polícia, recebermos o pior salário do Brasil.
Outro tema que passou pela minha cabeça foi discutir a importância da utilização da inteligência policial e dos recursos da tecnologia da informação na investigação criminal, as eleições presidenciais, a importância do voto consciente, mesmo quando grande parte dos candidatos e partidos são nivelados no patamar mais inferior de ética, moral e probidade.
Pensei em discutir a vocação de alguns para servir ao próximo, a luta por um mundo melhor por parte de alguns abnegados que lutam diariamente para diminuir a fome, a carência, o desamor, a necessária de retomada de alguns valores, até então esquecidos, mas que são imprescindíveis para uma vida em sociedade, principalmente aqueles relacionados com o amor ao próximo, a cooperação, a solidariedade e a fraternidade.
Refleti se deveria falar sobre a necessidade da população fiscalizar o trabalho dos agentes públicos, a ineficiência e os desvios de conduta dos ocupantes de boa parte dos cargos eletivos, o falso moralismo encontrado nas nossas relações sociais cotidianas, o fato de muitos terem trocado o ser pelo ter, a aparência ter tomado o lugar da essência, a sociedade consumista que obrigam muitos a trabalhar, trabalhar e trabalhar, para manter o seu padrão de vida, mesmo que a custa do distanciamento entre filhos, mulheres, maridos e outros entes queridos.
Enfim, pensei em muitos assuntos para falar para vocês, mas a escolha do assunto fica para o próximo artigo. Uma boa semana!

Higor Vinicius Nogueira Jorge é delegado de polícia, professor de análise de inteligência policial da Academia de Polícia e especialista na investigação de crimes cibernéticos. Tem feito palestras sobre segurança da informação, crimes cibernéticos, TI e drogas. Site: www.higorjorge.com.br. Twitter: www.twitter.com/higorjorge.

Informações bibliográficas:
JORGE, Higor Vinicius Nogueira. Para começar. Sistema Mega, Fernandópolis-SP, Santa Fé do Sul, 18 de junho de 2010. Disponível em: . Acesso em: [data].

Primeiro artigo da minha coluna que escrevo toda segunda-feira no Sistema Mega (www.sistemamega.com).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *